A 53 km de Catânia, está Taormina, uma das grandes estrelas do turismo siciliano. Pintada à exaustão, visitada e feita moradia temporária de escritores como Johann Wolfgang von Goethe, Friedrich Nietzsche, onde escreveu Assim Falou Zaratustra ,Truman Capote, Oscar Wilde entre tantos famosos que se encantaram por essa pequena cidade a 204 metros acima do nível do mar. Desta jóia arquitetônica, é possível ter exuberante vista do mar Jônico e do vulcão Etna, capazes de seduzirem qualquer apreciador de belas paisagens.

Com um vasto currículo histórico, bastante parecido com o de Catânia, foi fundada por gregos, invadidas por árabes, romanos e outros povos europeus.  Sua estratégica localização, entre Messina e Siracusa, foi uma das principais razões pelas quais fora tantas vezes ocupada e, nos tempos modernos, tenha se tornado um dos locais mais visitados desta região.

IMG_0738

Chegar em Taormina, porém, não é uma tarefa fácil. Do nível do mar até o topo da montanha, é preciso percorrer uma serpenteante e estreita estrada, que propicia uma inesquecível visão desta área. Caso chegue lá de ônibus, e tenha a sorte de ter um motorista amigável, a viagem será um pouco mais longa, já que, para que turistas possam fazer boas fotos e vídeos, é preciso que o veículo suba bem devagar. A rodoviária está um pouco distante da área mais turística da cidade e começa ali o prazeroso passeio. Se as condições do tempo estiverem adequadas, há um funicular que leva as pessoas até lá em cima.

Já na entrada, a Porta Messina, um dos portões do antigo muro que protegia a cidade em outros tempos. Ao cruzá-lo, a aventura começa pelo corso Umberto, a principal rua comercial da cidade e onde está instalado, também, o escritório de turismo. Os mais diversos tipo de lojas, de artigos de luxo, roupas, decoração, sorveterias, doceiras e restaurantes estão ali, ou nas dezenas de vielas que cortam. Vale atentar ao fato de que, talvez pela herança dos espanhóis que dominaram a ilha por muito tempo, a sesta é um hábito e o comércio fecha suas portas durante quase toda a tarde nos meses da baixa estação.

Taormina tem a mesma estrutura urbana de outras cidades medievais, bem parecidas com as das favelas brasileiras: poucas ruas largas, muitas vielas bem estreitas e degraus para todos os lados. A sofisticação, no entanto, coloca-a milênios à frente. Para poder entender um pouco a história de mais de 23 séculos da cidade, é necessário andar por estas vias tão íngremes e irregulares, observar os diferentes estilos arquitetônicos das construções e ler bastante, já que praticamente todos os pontos turísticos têm painéis explicativos.

IMG_0783

A atração mais disputada está um pouco acima da cidade e é um ótimo lugar para observá-la. O Teatro Grego encantou milhares de pessoas ao longos dos muitos anos de Taormina e é, sem dúvida, uma visita imperdível. Bastante preservado, ainda hoje é utilizado em eventos da cidade. De suas arquibancadas tem se uma vista sensacional do mar Jônico e do Etna, os maiores espetáculos que esse teatro pode apresentar a qualquer pessoa. O estado de preservação é tão bom, há tantas coisas interessantes para ver, que É muito fácil passar horas no local sem mesmo se dar conta do tempo.

Mais ao alto, outras  atrações especiais, o Santuário Madonna della Rocca (Nossa Senhora da Rocha) e o Castelo Saraceno, vistos de longe, por serem os pontos mais altos de Taormina. Para se chegar a elas, é preciso ir de carro, ou ter disposição para encarar um caminho íngreme, embora bem calçado e quase largo (passam 3 pessoas lado a lado). Num zigue-zague pela montanha, é a melhor maneira de aproveitar a paisagem e, no fim do percurso, está o santuário e sua capela dentro de uma gruta. com sua simplicidade de cores e formas. Na entrada, há uma placa contando a história do lugar e como uma lenda cristã deu origem a ele. Um pouco acima, pode-se chegar ao castelo. Informe-se, no entanto, se ele ainda está fechado a visitação, devido à restauração.

De volta ao centro da cidade, muitos outros locais estão à espera dos visitantes. As principais igrejas são a Duomo, a catedral da cidade, toda em pedra, a San Giuseppe, com sua simples fachada e exuberante interior em rococó, e a Santo Pancário, construída sobre as ruínas do templo grego dedicado a Júpiter. Fontes, jardins, palácios e tantos outros destaques, tornam a o passeio ao ar livre bastante interessante também, já que Taormina é um lugar muito agradável.

Apreciar mar, vulcão e o pôr-do-sol da praça da praça XI de Aprile é uma experiência inesquecível.

Clique aqui para ver mais fotos.

Anúncios